Desculpe lá sra. doutora

Eu até li a notícia de uma maneira muito céptica. Desconfiei do ênfase dado pelos media e desconfiei, como pude mais tarde constantar, que as declarações não estavam devidamente contextualizadas. De facto, desconheço inteiramente se antes de atirar para cima dos miúdos com aquelas palavras, recebeu algumas palavras menos agradáveis da outra parte. Compreendi até que tivesse que ser dura e depois de ouvir algumas das suas palavras temi que a fogueira já estava a arder no meio da praça pública pronta para a abraçar.  Continuei a escutar as suas ofensivas e comecei a simpatizar consigo, pois os cortes das falas comprovavam que os seus feitos estavam descontextualizados. Pior foi o pensamento de que duas raparigas haviam premeditado uma ou mais gravações nas suas aulas.

Por fim, toda a minha simpatia foi destruída quando exigiu que alguém com menos alguns anos de estudo a tratasse por senhora doutora. Ora bem, eu agora como bom português, perito em julgar com apenas alguns factos, acho que vou buscar ali um pedaço de lenha para a fogueira.

Anúncios

Os 5 maiores problemas de Portugal

Para quem não conheça, o Google Trends permite ter acesso ao número de pesquisas de uma determinada palavra, e adicionalmente tentar correlacionar com o número de notícias que o “todo-o-poderoso” Google detecta. Seleccionei alguns temas e tentei verificar o número pesquisas vs o número de noticias.

google trends - top 5 problemas

Na parte de cima temos o número de vezes que a palavra alvo de uma pesquisa. Na parte inferior o volume de noticias associado à palavra. E o que observações se podem retirar destes gráficos?

O sexo é sem dúvida alguma a palavra mais pesquisada, logo do maior interesse dos portugueses Isto será um item a explorar por algum líder partidário nas próximas eleições legislativas. No entanto, o volume de pesquisas tem vindo a decair desde o inicio de 2007, que mostra algo que tinha sido analisado pelo D. José. Policarpo. De salientar que é das poucas palavras em que o volume tem o aumento significativo perto do final de ano (ao contrário dos outros temas). Penso que isto quererá dizer que muitas pessoas vão para a passagem de ano com mais que 12 desejos.

No volume de pesquisas a educação e o futebol mostram uma forte correlação (talvez só a partir de 2006), como se estivessem intimamente ligados. Este facto está a ser analisado por um comité especial criado pelo Ministério da Educação e pela Federação Portuguesa de Futebol. Isto só demonstra que os portugueses pensam que o futebol é a melhor educação para os seus filhos. Eu sou da mesma opinião, planear uma reforma dourada desde a tenra idade dos putos – assim não é necessário recorrer a novos mecanismos artificiais de incentivo à reforma.

O crime e a saúde são temas pouco procurados pelos portugueses. Basicamente, não queremos ser criminosos nem saber como se opera um coração.

O crime apresenta o maior volume (destacado!) de notícias e tem tendência crescente. Daí a PJ ter realizado uma reunião de trabalho extraordinário. O problema não é o crime, é o crescente volume de notícias sobre crime… Reparei nisso, quando num jornal da RTP do Sábado foi visível algo como: 3 noticias nacionais sobre criminalidade + 2 noticias internacionais sobre violência. Mesmo o espectador menos atento, não fica indiferente a este tipo de sequência noticiosa. Estranha a percepção humana, não é?