Base de dados Portugal Contemporâneo

Há algum tempo António Barreto prometia disponibilizar dados sobre Portugal, nasceu hoje o Pordata. Uma ferramenta que permite aceder a dados estatísticos sobre os mais variados temas em tempo real. Trata-se de um projecto ambicioso que segundo os mentores do projecto terá três fases – 1ª Portugal, 2ª paíse da UE 27, 3ª regiões e municípios portugueses.

Muitos dados se encontram  no site, que converge para um único sitio coisas que andavam dispersas por muitos outros cantos.  Excelente oportunidade para aplicar ferramentas de visualização e relacionar vários factores a nível da sociedade portuguesa. Os dados estão lá, agora só falta que cidadãos mais atentos se debrucem um pouco sobre os mesmos.

Anúncios

Do mundo até a uma mão

Hoje descobri duas ferramentas poderosas. Ambas têm em comum permitir visualizar algo de uma maneira completamente diferente e de uma perspectiva incomum.

O primeiro é o ARSights que permite através da nossa webcam visualizar objectos 3D nas nossas mãos através de um tag que é necessário imprirmir. A tecnologia não nova, no entanto, parece-me que é a primeira vez que é acessível ao comum dos utilizadores.

arsights

A outra ferramento é o Gapminder, que disponibiliza várias estatísticas do nosso planeta. O seu grande poder é facilidade com que se cruzam dados e se comparam países. Também é extremamente interessante verificar a evolução de ao longo do tempo. Recomendo uma visita de vários minutos. Eis um exemplo do Gapminder em acção:

Ai a minha Pen!

Tecnicamente falando, não se trata da “pen“, visto que as coitadas das canetas não têm nada a ver com o assunto. Neste caso, fala das pendrives, usb memory disk, usb flash drive, ou como que lhe queiram chamar. Seja pen, daqui a uns anos ainda irá degenerar nalgum neologismo.

Ligamos o computador, enfiamos o maravilhoso dispositvo na ranhura e …. nada! O nosso amigo (cof cof) Windows dispara a mensagem “Não consigo ler! Quer formatar esta coisa que enfiou no portátil?”, ou numa mensagem mais normal: “Can not read from drive X:. Do you want to format it now?”

O suor invade a nossa face. Os preciosos documentos que passeavam no bolso estão em vias de extinção e parece que não há nada que possamos fazer. Ou há?

Já tinha verificado os sintomas desta anomalia congénita algumas vezes, mas só desta última é que realmente me dei ao trabalho de pesquisar por esse mundo fora uma solução para recuperar dados valiosos.

A solução chama-se Testdisk que, apesar de não ser intuitiva a sua utilização ao comum dos mortais, espalha magia pela nossa pen e, com um pouco de sorte, recupera todos os ficheiros que tinhamos dado como perdidos. O Photorec também é uma ferramenta indispensável e uma arma para recuperar dados de memory disks e flashdrives de uma qualquer máquina fotográfica. Felizes recuperações!