Visão de árbitro

Tanta polémica à volta da arbitragem nestes últimos tempos.  Apresento-vos a minha contribuição para a solução do problema:

helmet

E muitos mais modelos existem por aí. Cameras ajustáveis à cabeça do árbitro de alta definição que poderão permitir capturar imagens durante o jogo de futebol. Seja qual for a opinião a favor ou contra a tecnologia no futebol para ajudar os árbitro, esta pode dar um contributo em ambos os casos:

A) Permitem capturar directamente para a TVa visão do árbitro dando maior riqueza à transmissão (embora seja nessário equipamento de comunicações)

B) Quando existe um erro do árbitro permitem que o telespectador verifique que do ângulo do árbitro era extremamente difícil avaliá-lo. Vantagem clara seria que os amantes de futebol ficassem a perceber a natureza do erro e a entender melhor as acções de um índividuo.

C) Em caso de dúvida o árbitro poderia julgar o lance mediante repetição do que tinha visto.

D) Poderia ser aplicado em todos os jogos de todas as divisões ficando incluído no equipamento oficial. Deste modo, caí por terra o argumento da aplicabilidade em todas as divisões quando se propõe instalar camaras espalhadas pelo estádio.

E daria um ar mesmo bestial ao árbitro fazendo lembrar uma imagem de ficção maqueavélica. Sem dúvida meteria mais respeito…

Anúncios

Ideias – Gestão de energia

Primeiro que tudo vou confessar que não realizei a minha habitual pesquisa e trabalho de casa, ou seja, não andei a verificar por essa web fora se esta ideia já existia. De tal modo, caso algum digno leitor saiba de uma implementação da idiotice que irei descrever em seguida faça o favor de utilizar a caixinha dos comentários.

Nos últimos tempos a humanidade (pelo menos 1/3 dela) tem se debruçado sobre os problemas energéticos. Surgem carros híbridos, incentiva-se a utilização de energias renováveis, exploram-se novas formas de gerar electricidade. Existem formas mais normais de poupar o nosso planeta do desgaste energético, uma deleas é rentabilizar o nosso consumo electrico e ser, mais que tudo, eficiente. (Como exemplo, poderia ir desligar a TV visto que já acabou o jogo miserável de Portugal e a esta hora sou presenteado com uma bela telenovela da TVI – desligada!).

A panóplia de equipamento eléctrico espalhado em cima do meu armário é colossal, router wireless, televisão, dvd player, playstation, modem, telefone sem-fios, box de tv, …  O pior de tudo é que estes equipamentos vêm artilhados de LEDs de várias cores. O festival é de tamanha ordem que os poucos hóspedes que por vezes pernoitam no belo sofá da sala sentem algumas dificuldades em dormir.  A situação só se agrava no desperdício energético e claro nos expressivos digitos escritos na conta da EDP.

Não seria mesmo extraordinário que aquele modo de standby dos equipamentos (TV, settopbox, router wireless, etc.) desaparecesse quando a casa estivess vazia? Os leds apagavam, a actividade cessava e o consumo energético superfluo desaparecesse?

A primeira ideia que me ocorreu foi a mais simples. Desligar os interruptores do quadro eléctrico. O acto resulta, no entanto peca por ser demasiado extremista. Existe equipamento que não queremos desligado, como o frigorifico.

O objectivo desta ideia é criar um mecanismo que permita desligar totalmente os equipamentos que desejemos quando saímos de casa. As tomadas seriam substituídas por outro tipo de equipamento. Vou-lhes chamar tomadas sem fios, que seriam iguais às normais com o acrescento de electrónica capaz de receber a comunicação ON e OFF. Sempre que determinada tomada recebesse a comunicação OFF, passaria a não deixar passar corrente, ou seja, o(s) equipamento(s) que estivessem ligados à mesma não iriam consumir energia.

Todas as tomadas seriam controladas por um outro dispositivo que seria colocado na porta de entrada/saída de casa, semelhante ao controlo do ar condicionado ou de alarmes. Assim sempre que saíssemos de casa carregariamos num ecrã táctil e desligariamos o equipamento correspondente. Poderiamos mesmo criar categorias de equipamentos e desligar os mesmo com um toque de dedo. Na medida mais extrema desligariamos todo o equipamento que estivesse ligado às tomadas sem fios.  Claro que o frigorifico seria dos poucos que estaria associado a uma tomada normal. Não queremos que os nossos preciosos alimentos se estraguem devido ao palerma que se lembrou desta ideia, ou queremos?

Ideias II

Esta ideia é simples e conta-se em breve palavras. O objectivo não é gerar riqueza mas promover a transparência e tornar a nossa sociedade bastante melhor. Proponho ir por passos:

– Disponibilização do Diário da Républica em formato digital – OK

– Google indexar Diário da Républica – OK

– Criação de página com conteúdos a nível estatístico retirados do DRE

Como exemplos, dou os concursos públicos de admissão, os resultados desses mesmos concursos, comparar admissões em municipios, obras aprovadas, etc.

Exemplo (aberturas de concurso de admissão):

Admissões na Câmara de Pombal: 32

Admissões na Câmara de Coimbra: 105

Admissões na Câmara de Viseu: 52

Admissões na Câmara de Aveiro: 68

Admissões na Câmara de Lisboa: 144

Admissões na Câmara de Leiria: 62

Depois mantemos um histórico do número de hits no Google e estudamos a evolução até às próximas eleições. Dou o exemplo de Câmaras Municipais, mas é só ter um pouco de imaginação e utilizar o motor de pesquisa de eleição para retirar dados interessantes.

Ideias I

Dou começo hoje a uma nova secção a que denominei ideias. Palavra simples que pode envolver várias vertentes. Neste caso irei deixar algumas ideias que me ocorrem de vez em quando, com menor ou maior grau de desenvolvimento. Tomei esta decisão porque verifico que fácil é ter a ideia. A dificuldade reside na implementação e aplicar o que alguns neurónios semi-acabados tendem em construir no plano mental. Assim, opto por colocar alguns deslizes mentais neste meu pequeno espaço e quem sabe, alguém com mais arte e engenho que eu, possa colocar algo na prática.

Ideia I – BluePhoneBooth / Bluegamer

Existem várias implementações/aplicações bluetooth aliadas ao telemóvel espalhadas por esse mundo fora. Desde a publicidade não intrusiva à comunicação com outros dispositivos. Existe também o conceito de Bluesnarfing e BlueHacking . O que proponho vai mais longe que isto e que até o próprio BT Fusion ou que o Skype Phone.

Basicamente seria criar uma aplicação Java para telemóveis capaz de utilizar o bluetooth como gateway para a voz, utilizando VoIP. Depois colocar-se-iam cabines telefónicas bluetooth por vários sitíos (ex. centros comerciais, salas de espectáculo, etc.) onde as pessoas poderiam telefonar por preços bastante mais baratos utilizando o seu telemóvel e bluetooth. Poder-se-ia ir mais longe e criar aplicações que permitam ser utilizadas por outros telemóveis. Exemplo: um utilizador utilizaria o seu telemóvel para procurar dispositivos (telemóveis) perto que lhe permitissem realizar chamadas mais baratas para o número em questão.

Uma extensão desta ideia seria criar máquinas de venda automática de jogos/tons/videos/imagens para telemóvel via bluetooth. Estas máquinas teriam um ecrã apelativo onde o utilizador poderia surfar e ver demonstrações dos jogos/tons/música/imagens etc. Posteriormente, inseria algumas moedas com o valor correspondente e a compra era enviada via bluetooth.