Tomem lá umas barritas de ouro

Esta história do rating da Standard & Poor’s que olhou para o que andamos a fazer com o dinheiro emprestado e para a nossa capacidade de pagar, fez-me lembrar a história da aldeia que já por aqui contei. Nesta aldeia podia-se comprar tudo e mais alguma coisa recorrendo a conchas (algo real). Hoje em dia as coisas não são bem assim e o que interessa é mesmo a dívida. A dívida gera e vale dinheiro.  (Para quem tiver mais interesse neste assunto sugiro ver os filmes do Money as Debt e o mais recente Money as Debt II)

Existem pessoas que defendem que deveríamos retornar ao standard das reservas de ouro. Ou seja, cada país só conseguiria emitir dinheiro conforme as suas reservas do metal precioso. E nós Portugal, temos ouro? Temos e até é um número de barritas engraçado. Somos o 14º país com maior quantidade de reservas no mundo, com umas belas 382.5 toneladas. Arrumamos Espanha,Reino Unido, Canadá, Brasil a um canto e estamos bem à frente dos tais gregos.

Então, somos ricos?

@ Boston The Picture

Claro! Temos que fazer umas contas, sabendo que uma tonela de ouro são 32 000 onças e que a a dita cuja está hoje 1168$/oz e convertendo para euros:

Portugal – 10,9 mil milhões de euros

Espanha – 8,0 mil milhões de euros

Grécia – 3.2 mil milhões de euros

Vá, agora ide colocar o rating de Portugal no máximo que a gente manda umas barritas.

Anúncios

2 thoughts on “Tomem lá umas barritas de ouro

  1. Meu caro,

    «cada país só conseguiria emitir dinheiro conforme as suas reservas do metal precioso.»

    Pois aí é que está o busílis.
    É que desde que aderimos ao Euro acabou a possibilidade de emiti-lo unilateralmente. Caso fosse como antigamente a velha receita já era conhecida, a saber, desvalorização da moeda (injectando o tal dinheiro)e “siga a banda”, isto é: diminuição do valor real dos salários, taxa de inflação e de juros a subir por aí fora e a coisa a prazo ia ao sítio.

    Agora a receita vai ser mais dolorosa e, para nossa infelicidade, demorada…

    Acho que os nossos “golden days” acabaram e logo agora que temos o nosso pior Primeiro-Ministro de sempre (o Santana não conta, claro).

    Abraço!

  2. Concordo e assino por baixo quanto á analise e “receita”económica quanto ao primeiro ministro nem por isso ainda não devia conhecer o atual, ou então andava “distraído…!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s