Lisboa gelada em Junho

Não, não irei falar do tempo ou do frio na nossa capital, mas lembram-se destes senhores? Dia 7 de Junho, algures em Lisboa irá ocorrer a missão portuguesa. Os futuros agentes podem inscrever-se enviando um email disponível no site.

O pessoal que se juntou a esta moda das flash mobs não para:

Mais videos no site oficial.

Anúncios

Mistérios do petróleo – Capitulo 1

Tamanho é o aumento do preço do precioso líquido negro que os próprios revendedores já se queixam. O ministro da Economia pede estudos e apesar de ainda não se saber o resultado, vão se soltando alguns dados – Petróleo, Gás e Carvão – Estatísticas rápidas (o nome é o original) – estudo da DGEG dos últimos 18 meses.

Este decréscimo no consumo das gasolinas foi especialmente significativo na gasolina aditivada (-75,2%), que praticamente deixou de ser consumida nos últimos meses, e na gasolina sem chumbo 98 (-19,5%), não se registando, no entanto, alterações na tendência que já se vinha verificando. Relativamente à gasolina sem chumbo 95 o consumo baixou 2,8%.

Com os preços actuais até vale a pena começar a pensar em explorar petróleo no quintal. Ou não? Eis a distribuição das zonas de exploração em Portugal

petroleo portugal

Apesar da evidente omissão da Madeira e dos Açores, onde desconheço a existência de alguma lei regional para o assunto, a escolha das cores, tenho de admitir, é de mau-gosto e o preço para obtenção de informação também é carote para o cidadão comum.

camada petróleo portugal

A cereja em cima da página de disponibilização da Legislação do Petróleo em inglês é o Decree Law ou a Oil Law of Portugal (um decreto-lei português em inglês vale sempre a pena ler).

Já agora, estes senhores fazem o que estes se esquecem de fazer.

P.S. Na minha pequena pesquisa sobre este assunto onde surgirão mais artigos, deixo a minha nota de estranheza à ACAP. Apesar de se ter acesso a alguns dados sobre o parque automóvel português, o facto de estar ligada a uma empresa unipessoal onde se pode adquirir o miolo dos dados mediante pagamento não se afigura boa política. A utilidade pública começa a roçar o questionável.

Próximos capítulos:

Resposta às perguntas:

  • Será que reduzir o consumo de gasolina/gasóleo do cidadão comum nos automóveis iria ter algum peso no consumo total (indústria+aquecimento+electricidade)?
  • Qual a variação nas vendas dos postos fronteiriços portugues e espanhois?

Viagens de comboio

Fazendo uns cálculos mentais, há mais de uma década que uso o comboio como transporte regular. Como por norma costumo viajar sozinho, economicamente acaba por ficar vantajoso. Já o era há anos, e agora ainda mais com o aumento permanente do preço dos combustiveis.

Durante as várias viagens que vou realizando em longo curso (intercidades ou alfa-pendular), reparo em vários pormenores peculiares. Desde a história da senhora que cantou os parabéns ao telemóvel à mãe em plena carruagem, a senhora que, com dificuldade devido à sua dimensão, vendia os pasteis de Tentugal entre Aveiro e Coimbra, o crescente número de portáteis visiveis nas costas das cadeiras, etc. As histórias seriam muitas, mas a que eu gostaria de esclarecer é do Erro-no-número-da-carruagem-e-o-encontrar-o-lugar-certo:

São imensas as pessoas que entram na carruagem incorrecta por esta se encontrar longe do local onde estão e passam imenso tempo à procura do lugar durante a viagem. Esta demanda será mais dificil quando os viajantes se encontram acompanhados por bagagens volumosas. O resultado só poderá ser o esperado: passageiros sentados no lugar errado.

Pois bem, vou desvendar um dos dois segredos bem guardados pela CP: ordem das carruagens (intercidades e alfa-pendular) e da númeração dos bilhetes.

  • A numeração é efectuada no sentido Sul->Norte. Exemplo: Alfa-pendular: carruagem 1 será a mais a Sul e a 6 (última carruagem) será a mais a Norte. No Intercidades, as carruagens de primeira classe começam por um “1” (exemplo:11 ou 12) e são as mais a Sul. As carruagens de segunda classe começam por um “2” (exemplo:21,22,23,…) e estão ordenadas no sentido Sul-Norte.
  • A númeração dos bilhetes também segue a mesma regra, ou seja, um número elevado (ex: 110 ou 116) estará mais a norte na carruagem correspondente.

Fica por desvendar a ordem do número dos bilhetes dentro da própria carruagem que, exceptuando o sentido, ainda não consegui perceber. Aceitam-se dicas.

De qualquer maneira, da próxima vez que algum leitor viaje de comboio de longo curso, sabendo o número de carruagem/bilhete, e estimando o local de paragem do comboio, já saberá onde se colocar estrategicamente.